O que é a NR 17 sobre a ergonomia no ambiente de trabalho?

o-que-e-a-nr-17-sobre-a-ergonomia-no-ambiente-de-trabalho15472-870x400.jpg

Um dos principais perigos encontrados nos ambientes de trabalho e responsável por uma infinidade de doenças ocupacionais é o risco ergonômico.

Acontece que um ambiente de trabalho ergonomicamente falho pode ser determinante para o adoecimento físico e mental dos trabalhadores.

Mas, o que é a norma regulamentadora 17? O que é ergonomia? Quais são as decorrências de um ambiente de trabalho em que o trabalhador é submetido a fatores de riscos ergonômicos? O que fazer para prevenir o surgimento de doenças laborais?

Confira aqui tudo o que é preciso saber sobre a NR 17 , a diretriz que regulamenta a ergonomia nos ambientes de trabalho.

O que é a norma regulamentadora NR 17?

A Norma Regulamentadora NR 17 tem como objetivo “estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente” a todos os trabalhadores.

Assim, é a NR 17 que regulamenta a ergonomia no ambiente de trabalho e visa essencialmente o conforto, a diminuição de lesões e o aumento da produtividade dentro das empresas.

Esta norma regulamentadora é de suma importância, uma vez que, as maiores doenças de laborativas são desenvolvidas a partir da exposição ao risco ergonômico que muitos trabalhadores se submetem. Alguns exemplos seriam os trabalhos realizados em pé durante toda a jornada, atividades que necessitam de esforços repetitivos e tarefas de levantamento de cargas.

Portanto, além de proporcionar o cuidado com a saúde do trabalhador, é importante que os empreendedores tenham consciência de que o desconforto no ambiente de trabalho pode gerar também baixa produtividade para as empresas. Logo, o descumprimento da NR 17 não é vantajoso para o empregador e nem para o empregado.

Quais são os benefícios gerados pela ergonomia?

Instaurar a ergonomia no ambiente de trabalho é aumentar a possibilidade de estabelecer um convívio com pessoas mais saudáveis e dispostas. Dentre os benefícios podemos citar a diminuição de funcionários com problemas de saúde — como lesões, disfunções por movimentos repetitivos e complicações de postura. Com os problemas médicos reduzidos, o afastamento de funcionários será minimizado.

Assim, o cumprimento da ergonomia no ambiente de trabalho ajuda os empresários, uma vez que, funcionários saudáveis, motivados e produtivos impactam diretamente no faturamento das empresas.

Quais são as consequências do descumprimento da NR 17?

O não cumprimento da NR 17 pelos empregados e pelos empregadores pode acarretar em inúmeras consequências. Vejamos quais são elas:

Descumprimento pelo empregador

Caso seja constatada alguma irregularidade durante a fiscalização nas empresas, estas sofrerão notificação específica, e será estipulado prazo de 1 a 60 dias para que sejam realizadas as correções. Decorrido o prazo da notificação, será realizada outra inspeção, se houver a continuidade da irregularidade inicia-se o procedimento para a aplicação de multa à empresa e esta poderá responder processo perante a justiça do trabalho.

Descumprimento pelo empregado

No caso de recusa injustificada do empregado ao cumprimento da NR 17, é caracterizado o ato faltoso e ele estará suscetível às penalidades previstas na legislação, podendo chegar a ser demitido por justa causa.

Portanto, é extremamente importante que as empresas deem a devida atenção à aplicação da ergonomia dentro do ambiente de trabalho, a fim de se evitar futuros problemas.

Gostou das nossas dicas sobre a NR 17 e a ergonomia no ambiente de trabalho? Deixe seu comentário no post e compartilhe suas ideias!

4 dicas para evitar doenças posturais na empresa

Os empregadores têm o dever de oferecer condições de trabalho seguras, incluindo o fornecimento de informações e treinamento sobre ergonomia e doenças posturais. Má postura no trabalho é uma das principais causas de dor nas costas, estresse no trabalho, lesão por esforço repetitivo, resultando em perda de tempo, redução da produtividade, más condições de saúde dos funcionários, baixa moral, e custos mais elevados.